O CAMINHO ME ESCOLHEU

- Nazaré Sady

Relato

Curioso caminho
Cada dia um recomeço
Montanhas e cumes silenciosos
Despertam a emoção.
Folhas no chão,se recusam a morrer e criam curiosos desenhos.
Castanheiras doam seus frutos, no ar o cheiro dos eucaliptos.
Acalma minha ansiedade de chegada o som forte dos aviões.

Quando choro, alegria e melancolia se mesclam
Como o céu que muda...

E chove, e chove. Na Cruz de Ferro fica a pedra, saio leve, os céus lavam meu corpo e minh’ alma entre raios, trovões e arco íris, o encanto no encontro da magia dos templários.

No Cebreiro ofereço minhas lágrimas ao Santo Graal.
Uma estranha presença me confunde na sensação de já ter estado lá.
Até então, não sabia porque fazia o caminho, até descobrir uma terra de florestas mágicas, ritos, druídas, bruxas e cavalheiros.
Nos raios de sol da tarde salamandras, colônias de formigas, pueblos isolados do mundo, casas de pedra, água de fonte, em cada igreja um ninho de cegonha.

Ovelhas saúdam a passagem de homens e mulheres em busca de seus limites...
Capelas, ermidas e catedrais de pedra batida guardam segredos e belas historias
Lendas, caminho de pedras e penas,
Dores íntimas e secretos destinos.
Assim dei o melhor de mim e prometi nada esquecer, do cansaço, dos amigos, das noites de lua, do vinho, das vinhas...
Guardar as páginas desta bela história e viver os limites do aprendizado do caminho...

Nazaré

R E L A T O S